Instituto de Ciências da Arte - UFPA
E-mail
No dia internacional dos povos indígenas conheça o significado das pinturas corporais usadas por algumas etnias Imprimir
Escrito por Administrator   
Qui, 09 de Agosto de 2018 08:31

Provavelmente você já deve ter visto que os indígenas possuem pinturas corporais características, mas já se perguntou o que elas significam? Os indígenas carregam no corpo e no rosto a identidade cultural de seu povo. As pinturas são as marcas de muitas etnias e são diferentes para cada ocasião. As tintas são feitas a partir de elementos naturais, como urucum e jenipapo, e podem manter-se na pele por um período de 15 a 20 dias.

Segundo a mestranda em Antropologia, Eliene Putira, que também é presidente da Associação dos Povos Indígenas Estudantes na UFPA, cada traço tem um significado. A pesquisadora ressalta que o significado das pinturas depende de cada etnia, ou seja, uma mesma pintura pode ter significados diferentes dependendo da etnia que a faz. Existem desenhos que demonstram sentimentos, desde os mais felizes até os de revolta e indignação, pelos problemas enfrentados pelos povos.

“Muitas pessoas fazem pinturas porque acham bonitas, mas nem sempre as pinturas bonitas significam alegria. Muitas das vezes significam luto, tristeza e passagem”, alega Eliene Putira. A professora comenta que as pinturas são ainda a identidade dos povos e, por meio delas, podem identificar também a qual etnia pertencem. Outra característica representada pela arte são as peles de animais como jabutis, cobras, entre outros.

Pintura e ancestralidade - As pinturas feitas pelos indígenas carregam uma história com uma ancestralidade muito grande por trás de cada uma delas. Essa arte indígena esta muito além do valor estético, ela obedece  preceitos mágicos simbólicos e cosmológicos da sociedade que a representa.

“Lembro que uma vez pintei minha perna com a pintura indígena de outro povo e senti minha perna pesando muito. Comentei com a pessoa que estava fazendo a arte e ela me disse que aquela pintura era forte, pois eu iria precisar de força”, relembra Putira. Isso ocorre porque os grafismos indígenas são mais do que simples pinturas corporais, eles carregam consigo uma força extraordinária e honrosa.

Marca étnica - No dia 9 de agosto comemora-se o Dia Internacional dos Povos Indígenas. A data possui grande importância, pois além de conscientizar a sociedade sobre a inclusão dos povos indígenas, alerta sobre seus direitos e garante a preservação da cultura tradicional de cada uma das etnias como fonte primordial de sua identidade.

A professora e antropóloga Jane Beltrão explica que, para os indígenas, pintar-se ritualmente também é uma forma de expressar os mais delicados valores de sua cultura. Uma cultura rica que possui múltiplas formas de decorar corpos e artefatos, usando criativamente os mais diversos suportes – corpos, pedras, cerâmica entre tantos outros – para sua arte.

“A arte indígena é um sofisticado meio de comunicação estética, que informa aos demais sobre a diferença da qual emana força, autenticidade e valores das nações indígenas. Exibir as marcas tribais é indicar a resistência ao colonialismo, ao eurocentrismo e ao androcentrismo”, afirma a antropóloga.

Texto: Rebeca Rocha - Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre de Moraes

 

Copyright © 2016 Instituto de Ciências da Arte - UFPA

Avenida Presidente Vargas, S/N, Praça da República - Belém - Pará - Brasil, CEP 66017-060 - Tel: Secretaria: (91) 3241-5801, Fax: (91) 3241-8369. E-mail: ica@ufpa.br